Perfil

Sempre gostei de comer bem. Um dia larguei o marketing e fui pra cozinha. Estudei no Institute of Culinary Education em NY, fiz curso de confeitaria no Lenotre em Paris e de cozinha asiática no Culinary Institute of America. Trabalhei no Campagna em NY, no restaurante La Table do hotel Lausanne Palace na Suíça e no buffet Ginger. Fui chef do Santo Grão, do Buffet Les Amis, da rede de restaurantes Ping Pong e gerente de A&B da rede Le Pain Quotidien no Brasil.
Hoje uso toda essa experiência em projetos de consultoria para restaurantes e nos eventos que realizo.






Mão na massa


As pessoas inteligentes sabem que nada sabem.  Os profissionais sérios      da gastronomia também. A gastronomia é um assunto vasto; existem milhares de ingredientes, técnicas e receitas na culinária de cada um dos países de mundo.  O mais interessante da profissão é admitir nossa ignorância e partir em busca de novos conhecimentos e desafios.

Foi o que eu fiz 2 vezes no ultimo ano. Primeiro aceitei o desafio de ser chef executiva do restaurante Ping Pong e fui para a sede da rede em Londres aprender a fazer Dim Sum. Uma experiência incrível! Depois, no começo desse ano assumi a gerencia de alimentos e bebidas na rede Le Pain Quotidien no Brasil e fui para NY aprender a fazer pães. Nunca pensei que me encantaria tanto com a panificação. O envolvimento foi tanto que durante o treinamento criei meu próprio fermento natural, o levain, que eu tratava quase como um filho! Passou pela minha cabeça ficar por lá e arrumar um emprego de padeira. Olha as baguetes e chalás que eu fizClaro que acabei voltando, mas espero poder arrumar bastante tempo para continuar colocando a mão na massa!